Constelação Familiar Márcio Ferreira

Muitas pessoas nos perguntam quando é o momento certo para se fazer uma Constelação Familiar. Apesar de não existir uma resposta exata para essa questão, podemos te oferecer algumas orientações. Se você já tem uma boa ideia do que seja a Constelação Familiar, para saber qual o melhor momento para indicar ou fazer uma, continue a leitura.

 

CãoNum de seus diversos experimentos para investigar mecanismos de reação a estímulos, Pavlov testou o comportamento de um cão. Instalou-se

uma cerca de arame, colocou-se de um lado dela um grande pedaço de carne fresca e para o outro lado foi levado um cão. Da primeira vez, o cão foi levado à cerca com uma fome normal. Então ele correu ao longo da cerca, deu a volta para o outro lado e comeu a carne.

Numa segunda vez, o cão foi previamente alimentado e pôde comer à vontade. Como se esperava, ele não se importou com a carne do outro lado e deitou-se para dormir.

Num terceiro experimento, o mesmo cão foi conduzido até a cerca depois de passar fome por alguns dias. Ao farejar a carne, ele se atirou contra a cerca e a abocanhou-a tão fortemente que foi difícil desprendê-lo dali.

Essa história (provavelmente uma ficção) foi extraída do livro “A prática das Constelações Familiares” de Jakob Robert Schneider. Colocamos essa breve história porque ela ilustra qual o melhor momento para se fazer uma Constelação Familiar.

 

Momentos de Vida e Constelação Familiar

 

As pessoas que têm algum problema difícil estão em um dos três momentos abaixo:

 

  • Estão satisfeitas com outra coisa e por isso, mesmo que tenha algo de bom do outro lado da cerca. Sentem que nesse momento não precisam daquilo.

 

  • Percebem que falta algo em sua vida e quando descobrem onde está aquilo que está faltando, vão atrás para resolver a questão.

 

  • Estão desesperadas, então se atiram de cabeça na primeira solução que encontram. Nesse caso, mesmo que seja aquilo que elas precisam, muitas vezes se machucam ainda mais.

 

Como você pode notar, o melhor momento para fazer uma Constelação Familiar é quando você percebe que tem um problema que não consegue resolver. Esperar nesse caso, pode significar ter que enfrentar uma crise. E como você bem sabe: no desespero até as boas soluções são mais difíceis de se colocar em prática.

Com o tempo e experiência acabamos percebendo que a maioria das pessoas que está em um bom momento para fazer uma Constelação Familiar, manifesta alguns sintomas em comum. Chamamos esse conjunto de sintomas que indica que algo não vai muito bem de: encontrar o seu lugar.

 

Seu lugar na vida e Constelação Familiar

 

Sucesso

Apesar de conhecermos várias formas de ajudarmos nossos clientes a encontrar o seu lugar – como o coaching, a reprogramação biológica e outros – percebemos que a Constelação Familiar, e principalmente as Leis Sistêmicas descobertas por Bert Hellinger, trabalham sobre aquilo que é essencial, e por isso abrem o caminho para mudanças profundas.

 

Terapia e Constelação Familiar

 

TerapiaPense conosco.

Antes das Constelação Familiares as pessoas que experimentavam cansaço, vazio, sensação de estar perdido ou sem forças, procurava a ajuda de um terapeuta. Assim, a pessoa, por exemplo, poderia fazer uma psicanálise. Nesse caso, seriam necessários vários meses (às vezes anos) de terapia, para que finalmente viesse à luz o conhecimento que até então estava oculto. O problema é que mesmo que esse conhecimento trouxesse alívio, em muitos casos a sensação era:

 

– Muito bem, já descobri o culpado. E agora, o que faço com isso?

 

Em outras palavras, investia-se muito tempo para procurar o que causou o sintoma, sem oferecer soluções práticas. Você pode estar se perguntando:

 

– Mas essa não é a única terapia que existe. E se a pessoa fizesse uma terapia mais rápida?

 

O que notamos é que mesmo as terapias breves como a cognitivo-comportamental, psicodrama, gestalt e hipnose, se deparam com uma limitação que é transcendida pela Constelação Familiar.

Sabe qual é essa limitação?

A maioria das terapias lida com o ser humano enquanto indivíduo independente. Já nas Constelações Familiares, percebemos como cada pessoa está completamente imersa em seu sistema familiar. Dessa forma influencia e é influenciada por todos que fazem parte de sua família, quer queira, quer não. Aliás não querer ser influenciado pela família muitas vezes é pior.

Você já reparou como muitas vezes criticamos algum comportamento de nossos pais e acabamos fazendo igualzinho a eles?

 

Pois é, nesse caso resistir é persistir! Assim, ao trabalhar não só o indivíduo como também todas as forças que atuam sobre ele vindas de seu sistema familiar, é possível olhar de modo mais profundo para a causa real do problema, e a partir daí perceber boas soluções.

 

Outras metodologias e Constelação Familiar

 

Você pode estar pensando também:

 

– Mas existem outras metodologias mais dinâmicas e que também são sistêmicas.

 

Sim, você tem toda a razão! Quando olhamos para outras metodologias como coaching, PNL e terapia familiar, vemos muitas vezes que nelas existem ferramentas para lidar tanto o indivíduo quanto o seu sistema. Essas metodologia são dinâmicas e voltadas para objetivos. Desse modo o cliente pode obter resultados significativos de maneira rápida.

O que percebemos nesse caso, é que muitas vezes as metodologia acima se utilizam de atalhos baseados no funcionamento de nossa mente. Assim geram recursos que nos permitem desviar da causa real do problema. Então ao invés de resolver a questão, o esforço é empregado em criar caminhos alternativos em nosso cérebro. Dessa forma podemos avançar mais rapidamente na direção daquilo que queremos.

Em nossa própria experiência contudo, percebemos que muitas vezes esses atalhos não são suficientes. Como a causa real muitas vezes persiste, outros sintomas provocados por ela acabam se manifestando em nossas vidas. E assim temos que gerar novos recursos. Então, surgem novos sintomas. E mais uma vez precisamos de novos recursos.

 

Leis Sistêmicas e Constelação Familiar

 

Constelações Familiares Márcio FerreiraÉ aí que entra a grande força das Leis Sistêmicas, porque elas nos mostram o que você deve fazer para encontrar e ir para seu lugar. Isso significa, encontrar uma maneira de transformar a causa real a partir de uma solução sistêmica.

Em outras palavras, as Leis Sistêmicas nos ajudam a desenvolver um novo olhar, e como ele enxergamos novas possibilidades, bem como a solução para a causa real de nossos problemas difíceis.

Sem as ideias de Bert Hellinger nosso trabalho encontrava limitações, justamente por não oferecer uma base sólida para o que você precisa fazer para ir para o seu lugar. Pensando em tudo isso, reunimos o principal das Leis Sistêmicas de Bert Hellinger e os ensinamentos de Fernando de Freitas em Workshop. Nele, além da apresentação de conteúdo realizamos vivências que permitem que a pessoa:

  • Experimente o que é essencial
  • Perceba onde está sua maior força
  • E compreenda o que é estar em seu lugar

 

 

Além disso, aproveitamos esse Workshop para trabalhar com a Constelação Familiar e Consciência Sistêmica de pessoas que queiram olhar para algum tema pessoal. Caso você queira saber mais do Grupo de Estudo em Consciência Sistêmica, clique no link. As turmas foram sucesso de procura e desenvolvimento pessoal.

 

Não perca tempo!grupo-de-contelacao

 

Grupo de Constelação Familiar Sistêmica

03 de dezembro de 2016

09h00 – 19h00

Ribeirão Preto / SP

[VAGAS LIMITADAS]

Inscreva-se aqui

 

 

Esperamos ter ajudado você a entender um pouco mais sobre as Constelações Familiares Sistêmicas.

 

 

 

TEXTO ORIGINAL Taimã de Salles Massarolo Takeuchi e Sérgio Henrique Takeuchi

intervencoessistemicas.com.br

 

Siga-nos, comente e compartilhe:

Clínica de Psicologia Márcio Ferreira

 

 

 

 

Pin It on Pinterest

Share This